Os dois produtores responsáveis pelos sucessos teen “Gossip Girl” e “The OC” produziram a série do momento: Dinastia na Netflix, reboot para uma das séries mais conhecidas do mundo.

Resumo da primeira temporada de Dinastia na Netflix

Reboot da série Dynasty, exibida nos anos 80 nos EUA, a versão exibida na temporada 2017-18 usa o nome de sua antecessora e a cafonice tanto de figurinos, quanto de atuações para criar uma história novelesca, viciante e que claramente sabe como segurar o espectador.

Uma produção descompromissada, a própria definição do termo série-farofa. Em Dinastia na Netflix, os diálogos são cheios de frases de efeito, muito carão em tela – o que a gente ama – e tem tramas daquelas surreais.

Os produtores Josh Schwartz e Stephanie Savage usam e abusam de suas experiências em séries teen para criar uma nova e divertida história dentro da realidade atual e que acerta ao tratar de assuntos importantes como mulheres no mercado de trabalho, questões imigratórias, sexualidade, corrupção e muitas outras coisas mais sem perder o charme, o apelo para os jovens e não cair no lugar comum.

Cheia de diálogos ácidos, espertos e além de serem carregados de referências para a cultura pop, entregam um texto simples, onde vemos que a série não tem medo de ousar, sabe do seu status e se aproveita completamente da situação para desenvolver suas histórias.

 

Principais destaques em Dinastia na Netflix

Fallon, Blake e Cristal Carington

Um dos destaques de Dinastia fica com o elenco sexy e jovem, saído de uma capa de revista e a série começa em seus primeiros episódios com o embate delicioso e fantástico entre Fallon Carrington, Elizabeth Gillies, uma mistura da atriz Lindsay Lohan com a personagem de Leighton Meester em Gossip Girl e Cristal Flores, Nathalie Kelley. A dupla literalmente rouba as cenas e seus embates ficaram marcados nessa última temporada de séries americana.

Logo no primeiro episódio – I Hardly Recognized You, conhecemos a dinâmica familiar, onde Cristal acaba por casar com o Blake Carrington (Grant Show), Presidente da empresa Carrington Atlantic e que Fallon sonhava em ser a Vice-Presidente de Operações da companhia. Mas, como um bom novelão, sua nova madrastra acaba sendo promovida no lugar da enteada e isso é só começo de um delicioso jogo de gato e rato.

O mais legal da série é que não fica com uma trama cozinhando durante muito tempo, Cristal e sua família tem seus mistérios que são resolvidos ao longo dos primeiros episódios, com destaque para 1×03 – Guilt is for Insecure People e 1×05 -Company Slut. Junto com a personagem temos, também seu sobrinho Sam (o lindo Rafael de la Fuente) que chega para movimentar o dia-a-dia da Mansão e passa por momentos difíceis, com sua família envolvida com imigrações ilegais, máfia e sequestros de parentes.

Mesmo envolvido no arco mais dramático dos Flores, Sam acaba também sendo um dos alívios cômicos da série e funciona muito bem dentro da narrativa da série por conta de seu jeito expansivo e cafona de se vestir. O personagem tem seus melhores momentos principalmente quando tem cenas com o mordomo Andres (Alan Dale) e seu relacionamento com Steven (James Mackay), irmão de Fallon, é bastante tumultuada e intensa.

O outro Carrington também tem seus destaques na trama que dá para o personagem problemas com drogas, com a polícia e claro abre espaço para os roteiristas falarem política quando o rapaz se candidata para um cargo na cidade de Atlanta como vemos nos episódios 1×13 – Nothing But Trouble e 1×14 – The Gospel According to Blake Carrington.

 

Outros pontos sobre a trama

A trama também é movimentada e muito pelos irmãos Colby, Jeff (Sam Adegoke) e Monica (Wakeema Hollis) que não vão muito com a cara dos Carringtons. A dupla vai ganhando cada vez mais e mais destaque com uma trama de vingança começando a se revelar lá nos episódios 1×13 – Nothing But Trouble até 1×16 – Poor Little Rich Girl.

Jeff Colby (Sam Adegoke) e Monica Colby (Wakeema Hollis)

Jeff vira sócio de Fallon e quase-noivo-quase-casado e Monica a melhor amiga traída tem uma importância para o série, na medida que vemos os dois tentarem tirar o pai da prisão por um crime contra Blake.

Essa primeira temporada trabalha em três grandes arcos, a apresentação dos Flores, para depois a vingança dos Colby e em sua reta final temos mais situações hilárias e uma nova trama que é deliciosamente cativante, com a aparição de Alexis Carington (Nicolette Sheridan). A louca-ex-Sra Carington rouba atenção e chega chegando com uma entrada triunfal em um velório.

Dinastia usa e abusa de cenas e tomadas grandiosas, com festas luxuosas em quase todos os episódios e acaba por empolgar pelas reviravoltas, traições e alianças inesperadas onde a maioria dos episódios terminam com ganchos para lá de inesperados e que em quase todo momento é um mix de tudo ou nada.

O senso de urgência da série é gigantesco e mesmo com um roteiro não muito elaborado e com histórias paralelas que acabam ficando até mesmo desconexas as tramas principais, Dynasty chega a ser uma ótima e viciante companhia para se divertir mesmo com seu jeito alto, glamuroso e estridente.

Nota 9/10 para assistir.

 

Assista o Trailler Oficial de Dinastia na Netflix